Translation(s): English - Français - Italiano - Português (Brasil) - Русский

Configurando fontes do Apt

Apt baixa pacotes de um ou mais repositórios de programas (fontes) e os instala em seu computador.

Um repositório é geralmente um servidor de rede, como o repositório oficial para DebianStable. Diretórios locais ou CD/DVD também são aceitos.

Os repositórios específicos (fontes de pacote) configurados em sua máquina afetam:

Fontes de pacotes comumente usados

Editando fontes de programas

Precauções

Ser capaz de alterar os repositórios usados por seu sistema de gerenciamento de pacote (link em inglês) é um recurso poderoso, mas esse poder vem com alguma responsabilidade. Os usuários são alertados de que é possível quebrar seu sistema (de uma forma que pode ser difícil ou impossível de corrigir de forma limpa) adicionando repositórios de terceiros, ou repositórios para uma versão do Debian que não corresponde à sua versão atual - esses repositórios criam o risco de versões de pacote conflitantes, criando o que às vezes é chamado de sistema "Franken-Debian". Todo o conceito por trás de uma versão estável do Debian é que os desenvolvedores do Debian escolheram um conjunto de software e suas versões que funcionam bem juntos. Embora este software tenha patches para corrigir problemas de segurança, o software frequentemente não é a versão mais recente. É preciso alguma experiência para saber como os repositórios podem ser alterados sem risco de quebrar o sistema. Usuários de todos os níveis são aconselhados a alterar os repositórios com cautela.

Usando um programa gráfico

Alguns programas permitem configurar fontes Apt por meio de uma interface gráfica. Por exemplo:

Usando um editor de texto

O principal arquivo de configuração de fontes do Apt está em /etc/apt/sources.list. Você pode editar os arquivos (como root) usando seu editor de texto (em inglês) favorito.

Para adicionar fontes personalizadas, criando arquivos separados em /etc/apt/sources.list.d/ é preferível.

Veja man 5 sources.list

Formato sources.list

As entradas neste arquivo normalmente seguem este formato:

deb http://site.example.com/debian distribution component1 component2 component3
deb-src http://site.example.com/debian distribution component1 component2 component3

Tipo de arquivo

A primeira palavra em cada linha, deb or deb-src, indica o tipo de arquivo. Deb indica que o arquivo contém pacotes binários (deb), os pacotes pré-compilados que normalmente usamos. Deb-src indica código fonte do programa (em inglês), quais são o programa original sources (em inglês) além do arquivo de controle Debian (.dsc) e o diff.gz contendo as mudanças necessárias para empacotar o programa.

Repositório URL

A próxima entrada na linha é um URL para o repositório que você deseja baixar os pacotes. A lista principal dos espelhos dos repositórios do Debian está localizada em lista de espelhos.

Distribuição

A 'distribuição' pode ser o nome/alias do código de lançamento (jessie (em inglês), stretch (em inglês), buster (em inglês), sid (em inglês)) ou a classe de lançamento (oldstable, stable, testing, unstable) respectivamente. Se você pretende rastrear uma classe de lançamento, use o nome da classe; se quiser rastrear um lançamento pontual do Debian, use o nome do código. Evite usar stable em seu sources.list, pois isso resulta em surpresas desagradáveis e sistemas quebrados quando o próximo lançamento for feito; atualizar para uma nova versão deve ser uma ação deliberada, cuidadosa e editar o arquivo uma vez a cada dois anos não é um fardo.

Por exemplo, se você sempre quiser ajudar a testar a versão de teste, use 'testing'. Se você estiver rastreando bookworm e quiser acompanhá-lo desde o testing até o fim da vida, use 'bookworm'.

Componente

main (em inglês) consiste em pacotes DFSG-compliant, que não dependem de software fora desta área para operar. Estes são os únicos pacotes considerados parte da distribuição Debian.

contrib (em inglês) pacotes contêm software compatível com DFSG, mas têm dependências não principais (possivelmente empacotado para Debian em non-free).

non-free (em inglês) contém software que não está em conformidade com o DFSG.

Exemplo sources.list

Abaixo está um exemplo de um sources.list para Debian 11/Bullseye.

deb http://deb.debian.org/debian bullseye main
deb-src http://deb.debian.org/debian bullseye main

deb http://deb.debian.org/debian-security/ bullseye-security main
deb-src http://deb.debian.org/debian-security/ bullseye-security main

deb http://deb.debian.org/debian bullseye-updates main
deb-src http://deb.debian.org/debian bullseye-updates main

Se você também precisa dos componentes contrib e non-free, adicione contrib non-free após main. Por exemplo, para Debian 11/Bullseye:

deb http://deb.debian.org/debian bullseye main contrib non-free
deb-src http://deb.debian.org/debian bullseye main contrib non-free

deb http://deb.debian.org/debian-security/ bullseye-security main contrib non-free
deb-src http://deb.debian.org/debian-security/ bullseye-security main contrib non-free

deb http://deb.debian.org/debian bullseye-updates main contrib non-free
deb-src http://deb.debian.org/debian bullseye-updates main contrib non-free

Se você também precisa do Backports (em inglês), adicione as linhas dos componentes contrib e non-free ao repositório do bullseye-backports. Por exemplo, para Debian 11/Bullseye:

deb http://deb.debian.org/debian bullseye-backports main contrib non-free
deb-src http://deb.debian.org/debian bullseye-backports main contrib non-free

Em vez disso, você pode usar https://... em todas as linhas acima para usar os repositórios em conexões HTTPS criptografadas se o espelho de acordo suportar HTTPS. (Os usuários do Debian 9/Stretch ou versões mais antigas precisarão instalar o pacote apt-transport-https primeiro. O security.debian.org atualmente não têm certificados SSL publicamente verificáveis em HTTPS e, portanto, não podem ser usados com HTTPS no momento.)

Você pode usar um GNOME tool para editar seu arquivo sources.list. Acesse através de Menu → Sistema → Administração → Fontes de programas.

gksu --desktop /usr/share/applications/software-properties.desktop /usr/bin/software-properties-gtk

Usando Tor com Apt

Apt pode recuperar e baixar atualizações através de Tor. Para que isso funcione, você precisa instalar os pacotes tor e apt-transport-tor. Você pode então usar o oficial onion services que é fornecido pelo Debian.

Aqui está um exemplo sources.list usando os serviços do onion para Debian 9/Stretch:

deb tor+http://vwakviie2ienjx6t.onion/debian stretch main
deb-src tor+http://vwakviie2ienjx6t.onion/debian stretch main

deb tor+http://sgvtcaew4bxjd7ln.onion/debian-security stretch/updates main
deb-src tor+http://sgvtcaew4bxjd7ln.onion/debian-security stretch/updates main

deb tor+http://vwakviie2ienjx6t.onion/debian stretch-updates main
deb-src tor+http://vwakviie2ienjx6t.onion/debian stretch-updates main

CD-ROM

Se você preferir usar seu CD-ROM para instalar pacotes ou atualizar seu sistema automaticamente com o APT, você pode colocá-lo em seu /etc/apt/sources.list. Para fazer isso, você pode usar o apt-cdrom programa como este:

# apt-cdrom add

com o CD-ROM do Debian na unidade.

Você pode usar -d para o diretório do ponto de montagem do CD-ROM ou adicionar um ponto de montagem não-CD (ou seja, uma unidade de chave USB).

Resolução de nome

Ocasionalmente, a resolução de nomes pode falhar. Por exemplo, abaixo é de um S/390x Port running in a QEMU Chroot:

# apt update
0% [Working]Unsupported socketcall: 20
Unsupported socketcall: 20
Unsupported socketcall: 20
Unsupported socketcall: 20
Unsupported socketcall: 20
Unsupported socketcall: 20
Unsupported socketcall: 20
Unsupported socketcall: 20
Err:1 http://ftp.us.debian.org/debian testing InRelease
  Temporary failure resolving 'ftp.us.debian.org'
Reading package lists... Done
W: Failed to fetch http://ftp.us.debian.org/debian/dists/testing/InRelease  Temporary failure resolving 'ftp.us.debian.org'
W: Some index files failed to download. They have been ignored, or old ones used instead.

Você pode contornar isso temporariamente obtendo o endereço IP de outra máquina e, em seguida, usando o endereço IP em vez do URI:

echo "deb http://128.30.2.26/debian testing main" > /etc/apt/sources.list

apt update
Get:1 http://128.30.2.26/debian testing InRelease [232 kB]
Get:2 http://128.30.2.26/debian testing/main s390x Packages [7583 kB]
Get:3 http://128.30.2.26/debian testing/main Translation-en [5134 kB]    
Fetched 13.0 MB in 32s (403 kB/s)                                              
Reading package lists... Done

Pacotes com símbolos de depuração

Para depurar uma falha, você geralmente precisa dos arquivos de símbolo de depuração relacionados. Para a maioria dos pacotes Debian, eles estão em dbgsym packages (em inglês). Estes estão disponíveis em um arquivo separado.

Aqui está um exemplo de entrada para o seu sources.list para Debian 10/Bullseye pacotes dbgsym:

deb http://deb.debian.org/debian-debug/ bullseye-debug main

O mesmo se você estiver executando o testing.

deb http://deb.debian.org/debian-debug/ testing-debug main

E mais um exemplo se você estiver usando a distribuição unstable (instável).

deb http://deb.debian.org/debian-debug/ unstable-debug main

Mais informações


CategoryPackageManagement